Filie-se

Setembro Amarelo: Um alerta no Relatório do Grupo de Estudo e Pesquisa em Suicídio e Prevenção (GEPeSP) 2019

admin Comente 17.09.19 153 Vizualizações Imprimir Enviar

A COLPOL-RJ e o SINDPOL-RJ aderiram à campanha brasileira “Setembro Amarelo” de prevenção ao suicídio. Iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), o mês é destinado para reflexões acerca da prevenção do suicídio, orientando a população sobre a importância de sua discussão.

No caso dos policiais, a rotina arriscada e estressante, oscilando entre dias de perigo extremo e dias burocráticos na delegacia, infelizmente não tem sido o principal desafio de muitos: Dados inéditos relatados ao Grupo de Estudo e Pesquisa em Suicídio e Prevenção (GEPeSP) 2019,  mostram que o número de suicídios entre agentes de segurança no Brasil mais que dobrou em 2018. Foram 53 casos em 2018 e 25 registros em 2017. O número de tentativas de suicídios informados também aumentou, passando de seis casos para 14 em 2018. Desde 2016, o GEPeSP monitora e sistematiza notificações de mortes violentas intencionais (suicídio consumado, homicídio seguido por suicídio e as mortes por causa indeterminada), bem como as tentativas de suicídios entre profissionais de segurança pública.

A Comissária Meire Cristine Ferreira, diretora do Departamento de Assuntos em Saúde do Trabalhador Policial da Coligação dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro (COLPOL – RJ) e parte do Grupo de Estudo e Pesquisa em Suicídio e Prevenção (GEPeSP) que elaborou o Boletim 2019, explicou que a construção do mesmo é de grande relevância principalmente por possibilitar a geração de insights e novas ideias para a prevenção dos casos de tentativas de suicídios entre os agentes de segurança pública:

“O compromisso do GEPeSP é oferecer informações baseadas em pesquisas, visando fomentar políticas públicas e promover impacto social. O Boletim de Notificações de Mortes Violentas Intencionais e Tentativas de Suicídio entre Profissionais de Segurança Pública no Brasil publicou dados inéditos, é um instrumento de pesquisa a ser referenciado em diagnósticos e projetos de intervenção. Apresenta um cenário que carece de atenção e de cuidado.”

O COLPOL-RJ e o SINDPOL-RJ entendendo que o Estado do Rio de Janeiro tem um modelo de Segurança Pública que até então prioriza o investimento em equipamentos, oferece aos seus coligados serviços de psicologia como a parceria com a Rede de Atendimento Popular  que surgiu da necessidade de ampliar a oferta de profissionais da saúde que atendam policiais civis coligados e/ou sindicalizados, e seus dependentes. O convênio entre a Coligação e o Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro e estes profissionais, através do NuPISaúde, visa oferecer a oportunidade de encontrarem serviços de saúde de referência a preços populares e próximos às suas localidades. A faixa de preço varia de 30 a 60 reais, sendo o valor final acordado entre profissional e paciente.

“A população em estudo, agentes de segurança pública, exercem atividades de risco, e suas peculiaridades impactam consideravelmente a saúde física e mental. Especificamente, sobre o adoecimento mental, de forma silenciosa, pode acometer esses profissionais, diante das vulnerabilidades e fatores de risco inerentes às suas atividades, como bem sinalizado na publicação. Nesse aspecto, há de se considerar esforços institucionais a fim de sanear esses problemas, mas, ainda assim, carecem de ações de prevenção voltadas para o estabelecimento de uma cultura de saúde. Como membro pesquisadora do GEPeSP, venho colaborando na disseminação do estudo e no desenvolvimento de ações voltadas para a prevenção, e essa tem sido uma  linha de atuação da Diretoria de Assuntos em Saúde do Trabalhador Policial e do Núcleo de Pesquisa e Intervenção em Saúde do Policial Civil da Coligação e do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro, que através de Palestras, Encontros e Seminários vem proporcionando ambientes de estudos e debates com profissionais da área de saúde das Instituições de Segurança Pública, das diferentes esferas de governo, bem como, com Instituições de Pesquisas, Assuntos jurídicos  e Sociedade Civil, formando uma verdadeira rede em busca da promoção da saúde desses profissionais.” Citou a Comissária Meire.

O Núcleo de Pesquisa e Intervenção em Saúde do Policial Civil da COLPOL-RJ e SINDPOL-RJ realizarão no dia 23 de setembro, às 10h, o encontro “Valorização da vida e Saúde mental”, a se realizar  no Centro de Cultura e Estudos em Segurança da COLPOL-RJ, localizado na Rua Sete de Setembro, 141, 1° andar, Centro RJ.

Serão realizadas palestras de Norma Pinto, representante do CVV, da Dra. Kylza Estrella e da mãe sobrevivente, Kátia Sodré. Após as palestras, haverá uma roda de conversa entre palestrantes e o público presente.

Abaixo Destacamos Emergências psiquiátricas Estado do Rio de Janeiro

emergências psiquiátrica

© 2019 COLPOL.