Filie-se

NOTA DE REPÚDIO

admin Comente 15.05.19 329 Vizualizações Imprimir Enviar

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro (SINDPOL-RJ) e a Coligação dos Policiais Civis do Estado do Rio de Janeiro (COLPOL-RJ) vêm por meio da presente nota apresentar o seu repúdio à matéria publicada em IstoÉ intitulada “Os snipers criminosos de Witzel”
(https://istoe.com.br/os-snipers-criminosos-de-witzel/)

A matéria imputa supostos crimes a um grupo especial formado por honrados policiais com alto nível de especialização e profissionalismo, detentores dos mais relevantes serviços prestados à sociedade fluminense.

Ao macular a imagem de tais servidores, o autor se esquece, ou (convenientemente) ignora que existem requisitos legais para se considerar uma conduta criminosa (típica, ilícita e culpável), assim como só pode ser imputada à alguém após o devido processo legal.

Os policiais da CORE têm agido rotineiramente em legítima defesa própria e de terceiros, sempre em resposta à injusta agressão de narcotraficantes fortemente armados que tentam aterrorizar e subjugar à população do Rio de Janeiro.

Não podemos esquecer que no caso da intervenção policial, a ação dos policiais não é uma mera faculdade, mas um poder-dever determinado pela legislação, tendo em vista que eles devem agir em tais situações sob pena de responderem pela relevante omissão, uma vez que são agentes garantidores.

Sendo assim, fica evidente que os policiais não são apenas heróis porque se determinaram a agir dessa maneira, mas também por atenderem a um comando legal em defesa da sociedade.

Também ao se ignorar o devido processo legal e chamar a todos de criminosos, de forma rasteira e consciente, rasga-se o princípio constitucional da presunção da inocência, sempre lembrado como garantia dos bandidos, mas convenientemente esquecido para as forças policiais.

A irresponsabilidade e covardia dessa matéria foi tamanha que sequer foi assinada, restando apurar, através da persecução criminal e responsabilidade civil, a calúnia contra a honra dos policiais e do governador, bem como o dano moral individual e coletivo.

No mais o veículo de imprensa insiste em chamar “especialistas” que NUNCA trabalharam na área, nem mesmo possuem capacidade técnica para opinar sobre tema que não dominam.

Oportunamente, o ônus da prova cabe a quem o alega e a matéria omite imagens das apreensões de farto armamento de GUERRA apreendido pela polícia na comunidade da Maré, assim como omite as imagens que já circulam de facínoras armados na cidade de Angra dos Reis com farto armamento bélico de última geração.

Quanto ao governador Wilson Witzel, no caso em tela só podemos agradecer e parabenizá-lo pela coragem de se colocar ao lado da nossa polícia, não sendo mais um hipócrita como outros que o antecederam e que “jogavam para a galera” ao menor sinal de pressão vinda de alguns setores da imprensa e de ONGs que omitem a verdade e não têm compromisso com a segurança do nosso povo. Os policiais civis e militares, ao contrário, servem e protegem o cidadão e às famílias com o sacrifício, por vezes, da própria vida.

Rio de Janeiro, 15 de maio de 2019.

Marcio Garcia
Presidente do SINDPOL-RJ

Fábio Neira
Presidente da COLPOL-RJ

Euclides Duarte
Diretor Jurídico do SINDPOL-RJ

admin

  • gvargues@gmail.com

© 2019 COLPOL.