Filie-se

Mais um dia de encontros e boas lembranças: 2º dia de gravação do documentário sobre os 40 anos da COLPOL

admin Comente 09.05.19 295 Vizualizações Imprimir Enviar

Nesta 4ª feira, 08/05, na sede Culturalda COLPOL-RJ, aconteceu o 2º dia de gravação do documentário sobre os 40 anos da COLPOL.
Quase 20 associados foram agendados para darem seus depoimentos. De hora em hora, um grupo era esperado. Ao se encontrarem, abraços, conversas e muitas recordações. “Achei muito boa essa iniciativa. E foi uma oportunidade de revermos amigos e de lembrarmos de coisas boas da nossa vida pessoal e profissional”, comentou Maurício Faria Mello, de 83 anos, Comissário aposentado.
Para o presidente da COLPOL-RJ, idealizador do projeto e que faz questão de acompanhar todas as gravações, é um prazer ver ganhar vida algo que ele considera uma importante homenagem à entidade: “A COLPOL-RJ merecia essa reverência. São 40 anos de existência, 40 anos de parceria e ajuda ao policial civil. Uma pena não termos nada registrado sobre sua história assim nesses termos de resgate de sua memória. Fico feliz de ver ganhar vida esse projeto do documentário. Estou muito feliz com ele e mais feliz ainda vendo os colegas policiais virem aqui dar seus depoimentos num clima de tanta alegria e agradecimento. Muito emocionada, mesmo”, afirmou Neira.
O senhor Paulo Barbosa, de 68 anos, também Comissário aposentado, disse que gostou de participar, deu seu depoimento e aproveitou para também fazer uma sugestão: “A COLPOL-RJ poderia criar um Coral, um grupo de seresteiros, músicos. Arte. A arte é muito importante na vida de todo mundo e na vida do aposentado, mais ainda. Ela alegra, dá vida, motivação. Seria muito legal. Eu, por exemplo, adoro música. Ela esteve presente até no dia mais triste da minha vida, em 2009, quando enterrei a minha filha querida, que morreu de gripe suína. Na hora do enterro dela, cantei “Eu tenho tanto pra lhe dizer, mas com palavras, não sei dizer como é grande o meu amor por você”. A música, sempre a música a nos ajudar a administrar as emoções”, disse ele, emocionado.
O senhor Gilson Pinto, de 69 anos, Inspetor aposentado, agradeceu o convite e comentou: “Entrei para a COLPOL bem no início do meu ingresso na Polícia. Sempre fiz questão de ser um associado. A parte jurídica, a assistência social, o clube. É tudo muito bom. Já fui mais presente. A idade e alguns probleminhas de saúde me fazem me ausentar por uns tempos, mas sempre volto. Me sinto bem aqui. A COLPOL é a nossa casa. Tomara que o vídeo ajude as novas gerações a conhecerem e valorizarem a COLPOL.”
Túlio Costa, Inspetor de Polícia, de 50 anos, foi um dos últimos entrevistados do dia. Apesar de ser o mais novo do dia, ele também é veterano na Polícia. Entrou aos 19 anos. Fala com orgulho sobre a profissão que escolheu e sobre a importância da COLPOL em sua vida: “Desde o início, me tornei Coligado. E ser associado da COLPOL-RJ fez toda a diferença na minha vida profissional. Passei por uma injustiça, fiquei 1 ano e meio sem salário. Foi um absurdo, uma aberração jurídica. Não estou aqui me lamentando. Estou apenas constatando: somos abandonados pelo Estado. Ninguém olha por nós, nem governo, nem a instituição. Na época, contei e conto com a COLPOL-RJ. Foi com o jurídico da COLPOL-RJ que eu tive apoio, ajuda. O jurídico, a parte de saúde, a parte odontológica. Tudo é muito bom. Ser da COLPOL-RJ é uma alegria. Agradeço muito à COLPOL-RJ e torço para que os mais jovens conheçam, valorizem, respeitem e também se associem à COLPOL-RJ.”
Além deles, outros associados que participaram do 2º dia de gravação foram: Francisco Valério; Elias de Oliveira; Ary Oliveira; Creso e Ney da Silva.
O primeiro dia de gravação aconteceu no dia 27 de março.
Em breve, mais gravações nos esperam!
Vamos em frente.

(Fotos de Jussara Paixão)

© 2019 COLPOL.