Filie-se

COLPOL-RJ dá início às filmagens para o documentário sobre os 40 anos de sua criação

admin Comente 29.03.19 257 Vizualizações Imprimir Enviar

Em novembro desse ano, a COLPOL-RJ fará 40 anos de existência.

Para comemorar, será feito um documentário com depoimento de vários coligados. Afinal, cada um de vocês fez e faz parte dessa história.

Pois bem, nesta 4ª feira, 27/03, foi nosso primeiro dia de filmagem. Na Sede Cultural, na Sete de Setembro, ao longo do dia todo, recebemos quase 20 pessoas para que pudessem dar seus depoimentos, contar suas histórias, falar de suas lembranças. Homens, mulheres, geração mais nova, geração cascuda, fundadores, todo mundo. Queremos ouvir o que vocês têm a dizer. Queremos compartilhar com vocês o tanto de história que temos juntos.

Em nosso primeiro dia de filmagem, tivemos momentos lindos, de pura emoção. Alguns amigos chegaram a chorar, rememorando suas histórias. Mas, nada de spoiler. O resultado final a gente verá em novembro, quando enfim comemorarmos os 40 anos da COLPOL-RJ. Até lá, teremos encontros mensais com vários outros grupos, vários outros coligados para que deem seus depoimentos.

Fique ligado e acompanhe com a gente o desenvolvimento desse belo trabalho.

Por enquanto, fique com alguns trechos delicados e emocionantes dos depoimentos colhidos nesse primeiro dia de filmagem:

 

“Ficamos felizes em sermos ouvidos. A Coligação tem muita história e a gente faz parte dela. É bom ser lembrado. Fiquei muito honrado com o convite. Foi muito bom vir aqui conversar, encontrar amigos, lembrar de “causos” (risos). Parabéns à COLPOL-RJ pelos 40 anos e parabéns ao Fábio Neira por realizar esse trabalho.”

(Gedeon Antônio, 79 anos)

 

“Todas as presidências da casa sempre fizeram um bom trabalho, sempre ouviram e defenderam a gente. Não tenho do que me queixar. Só tenho boas lembranças da parceria da COLPOL-RJ. Sou dos antigos, mas queria muito que os jovens soubessem melhor sobre a origem e a história da COLPOL-RJ. Aqui é a nossa casa e assim ela deve ser tratada: com amor e respeito, como o bom lar que é.”

(Ivan Salles, 87 anos)

 

“Entrei com 19, 20 anos na Polícia. Era uma menina. Minha turma tinha um número reduzido de mulheres. Isso era o ano de 1988. Mas já na Acadepol, a COLPOL-RJ entrou na minha vida. Me associei e sei que foi importante para mim. A COLPOL-RJ faz parte da minha vida. É onde levava meus filhos para terem, por exemplo, um espaço de lazer bom e barato. Frequentei muito o Clube Campestre com meus dois filhos. Em 1998, quando perdi meu companheiro, que também era policial, foi com a COLPOL-RJ que eu contei. A COLPOL-RJ me acolheu, me apoiou, me ajudou a segurar aquela barra toda. Hoje, já sou avó e levo meu neto para também brincar lá no clube onde meus filhos brincavam. Olho pra trás e tenho uma certeza: orgulho a gente sente sozinho. Mas força, amigo. Força a gente só consegue com união. Então, filie-se, esteja junto, faça parte da COLPOL-RJ. E que a gente possa comemorar outros tantos e tantos aniversários da COLPOL-RJ.”

(Cláudia Murray, Oficial de Cartório)

 

 

“Estou na Coligação desde que entrei para a Polícia Civil. Já fui até Conselheiro da casa. Os novatos têm que respeitar isso aqui. Respeitar a COLPOL e respeitar os cascudos. Experiência e história precisam ser respeitadas, né? Não precisa vir pedir “bença” e se curvar, não. Mas que tem que respeitar, ah, tem! (risos). A gente frequentando, conhecendo e valorizando um espaço como esse, a gente consegue também que a categoria se enxergue com mais respeito, valorização e amor à profissão.”

(José Dias de Moraes, 79 anos)

 

“Entrei na Polícia na época do governador Lacerda. Entrei como datilógrafa. Depois, com as mudanças, me aposentei, em 1991, já com o cargo de Oficial de Cartório. Desde que entrei para a Polícia, logo me associei à Coligação. Fiz a campanha, por exemplo, do Dr. Eustáquio. Eu ligava para as pessoas, falava da campanha, conversava, mesmo. Ajudava a convencer as pessoas de que ele era o melhor nome. Até de casa eu ligava. Minha conta de telefone vinha alta, mas não tinha problema (risos). Era uma época muito boa. E sempre a COLPOL-RJ fez parte da minha vida. Da minha, de meu marido, de minhas filhas. Que bom que a gente pode e tem com quem contar. É muito importante termos a COLPOL-RJ em nossas vidas. A palavra é de gratidão, mesmo.”

(Diva, Oficial de Cartório)

 

“Ai de nós se não tivéssemos a COLPOL-RJ para olhar por nós. É muito importante tudo o que ela representa para os policiais, para os coligados e suas famílias, de um modo geral. Mas especialmente aos aposentados, a COLPOL-RJ representa ainda muito mais. Eu me sinto muito bem, muito feliz e honrado de cuidar dos interesses dos aposentados e inativos aqui na COLPOL-RJ. Temos que honrar e agradecer por sua história, por sua trajetória em defesa dos policiais civis. É um lugar de luta, sim, mas também de muito amor e parceria. É assim que vejo a COLPOL-RJ.”

(Gilberto Vieira de Melo Filho, diretor de Aposentados e Inativos da COLPOL-RJ)

 

© 2019 COLPOL.