Filie-se

Membros do AA participam da primeira palestra do ano realizada pelo NuPISaúde

admin Comente 16.01.19 239 Vizualizações Imprimir Enviar

Um encontro cheio de emoção e entrega. Foi assim a primeira palestra do ano realizada pelo NuPISaúde, da COLPOL-RJ e do SINDPOL-RJ, na manhã desta 3ª feira, 15/01, na sede cultural da COLPOL-RJ. Com o tema “Alcoolismo, a doença da negação: a recuperação é possível”, a palestra, ministrada pelos membros do Alcoólicos Anônimos (A.A.), durou quase duas horas e meia.

Sete integrantes do AA abriram o coração e contaram suas histórias de dor e superação.
Como o anonimato é uma regra imprescindível do AA, suas identidades foram preservadas: não tiramos fotos de seus rostos e nem os filmamos. Também por isso, usamos apenas o primeiro nome de cada um deles. Afinal, a causa é mais importante do que suas identidades.

Fábio Neira, presidente da COLPOL-RJ deu as boas vindas a todos os presentes e passou a fala para a psicóloga Natalia Troise, coordenadora do Núcleo de Pesquisa e Intervenção em Saúde do Policial Civil (NuPISaúde), que então abriu de discussão e palestra sobre o tema. Natália agradeceu a disponibilidade dos membros do AA e adiantou a novidade: ainda esse mês já deve ter início a parceria entre o NuPISaúde e os A.A, ou seja, será criado um grupo institucional de mútua ajuda na nossa sede, na Sete de Setembro.

Depois de Natália, Jeferson Silva, perito legista, médico toxicologista e professor da UFRJ, falou à plateia: “O vício em álcool e nas demais drogas tem se tornado cada vez mais uma realidade na vida de muitas pessoas e também em nossa instituição. Por isso, é sempre bom falar, ter informação e por isso o meu muito obrigado a vocês do AA por estarem hoje aqui. A ideia não é demonizar o álcool. A ideia é conversar, debater e ter um olhar, abrir uma porta, um caminho para o tratamento. Armando, Rodrigues, Raul, César, Cecy, Arlete e José Pereira, obrigado por estarem aqui. Obrigado por compartilharem suas histórias”, disse ele chamando cada um dos citados a falar.

Senhor Raul, aos 77 anos, salientou a importância de se tratar o alcoolismo como uma doença: “O alcoólatra não é um marginal, um safado ou um fracassado. Ele é um dependente químico. Alcoolismo é uma doença e assim tem que ser encarado. Alcoolismo é uma doença primária, física, mental, espiritual, progressiva, incurável e de fim trágico e humilhante. Por isso, ela precisa sim ser tratada”, afirmou ele após contar seu relato de mais de 40 anos de dependência química.

Assim como Raul, todos lembraram um outro ponto importante: a negação. Como se diz: o alcoolismo é a doença da negação. O doente nega até o fim que seja alcoólatra, não admite que tem dependência química e, enquanto não enxerga que tem um doença, fica impossível se curar, procurar tratamento.

Entre os sete depoimentos, um deles era de um familiar do dependente químico (uma mãe em busca de ajuda para o filho) e um que é dependente químico e policial civil: “Já tentei parar outras vezes e nunca consegui. No início, achava que só bebia socialmente. Mas estava errado. Eu sou alcoólatra. Depois de algumas tentativas, internações, fui indicado aos Alcoólicos Anônimos. Fui assim bem desacreditado do que ia encontrar lá. Fui e gostei. Voltei no dia seguinte, no outro, no outro. Não me pergunte o motivo, mas gostei e fiquei. Estou há 77 dias sem beber. Um dia de cada vez. Não me pergunte o motivo, mas lá é diferente. Lá você não se sente mais um. Lá você não se sente julgado, cobrado. Você se identifica com as histórias, se enxerga nelas e quer alcançar a vitória, também. Falo a vocês que estão nessa procura ou conhecem alguém que precisa dessa ajuda: vão ao Alcoólicos Anônimos. Funciona. Obrigado a vocês todos do AA e obrigado aos amigos da COLPOL e do SINDPOL, especialmente ao meu amigo Neira e a Doutora Natália. Eu, que faço parte há tantos anos de uma instituição que não olha para a gente, encontrei no AA, em vocês dois aqui da COLPOL-RJ e em outros amigos daqui a força e a ajuda de que precisava. Obrigado!”, disse, emocionado, nosso amigo policial.

A quem não pôde comparecer à palestra, o encontro foi todo gravado. Em breve, disponibilizaremos o vídeo na íntegra. Fiquem ligados!

Uma última informação importante: para conhecer melhor os Alcoólicos Anônimos, entre no site. Lá você encontra informações do grupo em sua cidade em todo o país:
https://www.aa.org.br/

No Rio de Janeiro, o telefone do escritório central atende no 21-2253-3377

admin

  • gvargues@gmail.com

© 2019 COLPOL.