As legítimas entidades estarão representando os interesses dos policiais civis, na primeira reunião de trabalho convocada pelo chefe de polícia, delegado Rivaldo Barbosa.

Entre os assuntos que serão levados ao conhecimento da nova gestão e serão objetos prioritários de discussão:

1) A questão da portaria da CIDPOL que há meses sacrifica os policiais da ponta, inclusive do interior, desorganizando totalmente a escala e o serviço das delegacias, sobretudo as distritais;

2) A necessidade do cumprimento integral da decisão judicial em 2a instância, em ação do SINDPOL/COLPOL que determina o andamento imediato de todas as promoções na PCERJ e que já teve início no final da gestão passada;

3) A necessidade de nomeação imediata de 96 papiloscopistas e convocação para matrícula na ACADEPOL de 248 oficiais de cartório e outros 220 papiloscopistas, todos concursados aprovados, face a situação caótica dos quadros da PCERJ, que demandam um cronograma urgente de concursos para os próximos anos;

4) A lei orgânica da PCERJ, aproveitando para discutir mudanças de nomenclatura e unificação dos cargos, enxugamento de classes, gratificações e critérios de promoção, entre outros pontos;

5) Por fim e nunca menos importante, o compromisso da chefia com a cobrança, seja do governador, seja do interventor, sobre o pagamento imediato do 13° salário e regularização do pagamento do que falta de RAS e METAS, sem o qual todo o planejamento estratégico e operacional ficará comprometido.

A reunião marcada pelo Chefe de Polícia será realizada na próxima sexta-feira (16/03), às 8 horas, no 12° andar da Chefia de Polícia Civil.